segunda-feira, 21 de maio de 2018

A acusação contra o general Geisel





È um problema para todo analista como proceder diante de uma figura histórica.Principalmente quando esta figura tem na sua responsabilidade pública pessoal catadupas de ilegitimidades e cometimento de violências e ,até,crimes.
É fácil olhar Hitler e separar esta questão da sua contribuição histórica eventual.Mesmo porque neste caso só há destruição.Mas como não considerar um destrutivo,como Cortês,que iniciou a colonização da América?Isto aí não tem um elemento  de mérito?
A solução deste suposto impasse ético é considerar os políticos e as figuras históricas como portadoras de valores,idéias,conceitos,que não são necessariamente deles,mas de uma época.
Quando se fala numa “ política trabalhista” pensa-se logo que tudo foi feito por Getúlio Vargas ou Lindolfo Collor,mas o trabalhismo é feito muitos e Getúlio,em última instância,o sanciona,o chancela.O mesmo se pode dizer do plano real e de outras ocorrências históricas e políticas.
EU NÃO TENHO NENHUMA SIMPATIA PELO GENERAL GEISEL,UM GOVERNANTE ILEGÍTIMO.PONTO.Mas a  análise da política que eu(sempre) faço não é de natureza pessoal,embora,não raro,isto seja inevitável de considerar.E eu já citei exemplos disto acima.
A “ revelação” da CIA quanto ao seu papel decisório na tortura e morte de opositores do regime militar é um segredo de polichinelo(outro).Era impossível os generais não saberem do que acontecia nos quartéis e delegacias de polícia e demais lugares de sofrimento.Aqui e acolá ,nos depoimentos e pesquisas,avultam em importância a revelação da presença de militares,bem como de sistemas complexos de tortura e ainda de certos locais que  tinham uma função diversionista,cujos usos estavam conectados evidentemente com a  repressão.
A ditadura militar,em seu périplo usurpacionista,sempre se utilizou de uma tática muito clara:o que garantiu a consolidação do governo Costa e Silva foi a suposta inconformidade das  forças armadas com  a sua aparente incapacidade de reação diante dos protestos estudantis(provocados pelo regime).O General Jayme Portela(portelinha)conta em sua biografia do general Costa e Silva que o general Sizeno Sarmento estava de prontidão no dia anterior à decretação do AI-5 e estava disposto a “ultrapassar  o chefe” de acordo com as palavras confirmatórias de Jarbas Passarinho.Costa teria dito ao mesmo Passarinho ,nesta noite,que ninguém o incomodasse porque não atenderia mais pessoa alguma.” Não diga que eu estou dormindo,diga que eu não atendo”.
Isto tudo ,para mim,é  história da carochinha.Não os fatos e dizeres,mas que fosse tudo espontâneo:isto era um truque,um truque de gestão e de justificação,típico da administração do exército,no contato que tem normalmente com a política.
O primeiro exemplo disto aí se dá na relação de Antônio Moreira César( o mesmo de Canudos)com Floriano ,no episódio de 1895, de assassínio dos 197 republicanos históricos de Santa Catarina(daí a alcunha dada a César de “ corta-pescoço[pois foi assim que ele os matou]).Depois de realizar a “ obra”,Moreira César recebeu um telegrama de Floriano  pedindo relatório dos fatos,ao que ele respondeu:” já o fiz”.Não é à toa que Floriano era retratado nos jornais como a esfinge,porque fazia tudo de modo sibilino,como seus subordinados.Mas isto é uma forma de gestão tipicamente militar,adequada para as suas  tarefas difíceis ...
Até à redemocratização foi sempre assim.Medici e Geisel(linha dura e sorbone),Figueiredo e Waldir Pires,Leônidas e Waldir Pires.
É evidente que este procedimento visava evitar o desgaste das forças armadas e liberar algumas de suas figuras representativas das culpas do regime ( e também justificar a repressão),o que abriria sempre a possibilidade de retorno do regime,logo depois da redemocratização e agora.
A esquerda não desiste das reparações e exige a liberação dos arquivos do exército,que as tornariam mais que inevitáveis.Dentro de um critério republicano de respeito à cidadania esta exigência é legitima,mas usá-la para propósitos políticos de afirmação partidária não.Isto torna a esquerda mentalmente igual à ditadura,isto é,revanchista,que é um modo de obter dividendos políticos,quando se não os consegue em eleições.
Qual é a idoneidade da CIA,para a esquerda,para lançar uma “ prova” deste  jaez e fundamentar o pedido de abertura dos arquivos?Como se pode imaginar que a CIA iria interagir com esta reivindicação dos radicais ,contra quem ela lutou,apoiando a ditadura?
Esta “ prova” é o que se chama um “ balão de ensaio”,que a CIA,junto com os setores conservadores que querem o golpe,lança para provocar uma reação irresponsável(como sempre)dos radicais.
Ninguém aprendeu nada do lado da esquerda.A direita faz o de sempre(como fez em 68,fazendo provocação,na UNB,na Maria Antônia,na passeata dos cem mil).
É a pior hora para aceitar tal provocação e exigir os arquivos militares.OUÇAM BEM VOCÊS DA ESQUERDA QUE ME LÊM:EU TENHO INTERESSE PESSOAL NISTO AÍ,QUERO DIZER,NA ABERTURA DOS ARQUIVOS,MAS É PRECISO COLOCAR O BRASIL E A SOCIEDADE (OU SEJA NÓS)ACIMA DISTO TUDO,PORQUE A ESQUERDA NÃO TEM (COMO SEMPRE)CONDIÇÕES DE IMPOR UM GOVERNO(E NEM DIREITO ORA)E A SUA INSISTÊNCIA VÃ SÓ FARÁ O QUE SEMPRE FEZ,COLOCAR A DIREITA NO PODER,COMO EU TENHO ALERTADO DESDE 2012.
NÃO ME VENHAM COM ESTA DE QUE DEFENDO A DIREITA,GOSTO DO GEISEL,NÃO TEM NADA A VER.FAÇAM UM ESFORCINHO DE COMPREENSÃO.
ANALISO A POLÍTICADE UMA MANEIRA NÃO FRIA,MAS RACIONAL.NÃO SOU GETULISTA,MAS A LEGISLAÇÃO TRABALHISTA SIGNIFICOU UM AVANÇO.NÃO SOU DEFENSOR DE GEISEL ,MAS A  MINHA POSTURA,SEM OS EXAGEROS, É SEMELHANTE A DE GLAUBER ROCHA E DO PCB .QUANDO O GENERAL ASSUMIU A PRESIDÊNCIA,SE FICOU CLARO QUE ELE TINHA DISPOSIÇÃO DE ABIR O PAÍS,NÓS NEGOIARÍAMOS COM ELE,EM BASES DIGNAS.GEISEL SEMPRE SE OPÔS AOS AMERICANOS E SUA INGERÊNCIA(QUE SE REPETE AGORA[E É POR ISSO QUE OS AMERICANOS INTERFEREM DE NOVO]).NESTE SENTIDO GEISEL FOI O PRIMEIRO A RECONHECER A INDEPENDÊNCIA DO GOVERNO  COMUNISTA  DE ANGOLA.REPITO:GOVERNO COMUNISTA DE ANGOLA.POUCA GENTE SABE (SÓ OS QUE SE INFORMAM ANTES DE FALAR)QUE OS EUA QUERIAM A MANUTENÇÃO DO APARTHEID E PARA ISTO ERA DE SUMA IMPORTÂNCIA MANTER O GOVERNO COLONIAL EM ANGOLA.A INDEPENDÊNCIA DE ANGOLA,APOIADA POR GEISEL E FIDEL CASTRO,SIGNIFICOU O FIM DO APARTHEID.REPITO:O FIM DO APARTHEID.
Então,por favor,esquerdas radicais,se informem antes de  me criticar e não caiam no truque da direita,mais uma vez  jogando  o país na ditadura.